Arquivo | junho, 2013

Pipoca doce – chocolate

25 jun

pipoca

Já fazia tempo que eu tentava fazer esta pipoca, e nada… Sempre dava errado, queimava tudo! De receita em receita eu parei nesta, que deu super certo, acredite!

Ingredientes:

1/2 xícara de chá açúcar
1/2 xícara de chá de achocolatado em pó
1/2 xícara de chá de água
1/2 xícara de óleo
1 xícara de milho para pipoca

Modo de Preparo:

Despeje a água, o chocolate, o açúcar e o óleo em uma pipoqueira e leve ao fogo (alto) até que forme uma consistência homogênea, mexendo sempre, com uma colher de pau. Depois disso acrescente o milho e continue mexendo.

Você vai perceber que irá se formar tipo de uma calda caramelada e então as pipocas começarão e estourar. Tampe a panela e diminua um pouco a chama. Mexa sem parar até observar um intervalo de uns cinco segundos entre um estouro e outro.

Achei aqui: Tudo Gostoso

Informações adicionais de lá:

Cuidado com as pipocas que estouram antes da panela estiver tampada pois a calda é muito quente.

Pronto! Delicie-se neste inverno!

Beijos, Beijos.

Protesto!

19 jun

1010590_10151682527918024_1266601143_n

Talvez seja pessimismo da minha parte dizer, mas te garanto que eu nunca imaginei viver o que eu vivi hoje. De verdade. Nunca cheguei a pensar tal atitude vinda de nós, povo brasileiro.

Hoje eu saí pra protestar. Contra o que? Contra o que, não? Talvez seja por isso que somos insistentemente intitulados de ‘perdidos’. Afinal, de sopetão assim não conseguimos sequer optar por um único caos. Me sinto como quem estivesse debaixo da água, implorando por oxigênio e quando que de repente, eu visse uma pontinha de esperança em respirar. Consegue imaginar? Juro que se você estivesse realmente nestas condições, seu principal desejo seria a sobrevivência, sem maiores detalhes. Precisamos sobreviver! Nos agarramos à primeira oportunidade e a partir de agora, o que vier, é lucro! Pior do que está, não dá pra ficar!

A pessoa, que até dias atrás tinha a certeza de que uma melhora seria praticamente impossível, agora registra aqui que sim, que voltou a acreditar. Sim, pode ser que sim. Tomara que sim!

Qual é a solução? Não sejamos tolos, estamos muito longe disso. Mas um grande passo foi dado, não podemos negar. Estamos insatisfeitos e não somos tão acomodados o quanto pensávamos. Nem o quanto gostariam que fossemos. Hoje eu descobri que juntos, somos realmente muito fortes!

Lamento, profundamente, por qualquer tipo de vandalismo.

Vamos! Mas vamos com calma. Ainda somos muito jovens!

Maria F. Mazzer

Paris je t’aime!

5 jun

Descobri minha paixão por Paris desde a primeira vez que a conheci…

Mesmo depois de uma semana chuvosa na cidade, voltei encantada. Por isso que tive a certeza de que realmente era amor! (risos)

Confesso que nunca gostei de dias de chuva, muito menos de dias gelados. Mas depois de Paris… Tudo mudou! Sim, eu prefiro ser… Esta metamorfose ambulante… Do que ter aquela opinião formada sobre tudo!

De lá pra cá pude ter a certeza de que nós mulheres podemos, sim, nos mantermos lindas e elegantes mesmo nestas ocasiões. Pode parecer estranho, mas antes eu pensava que não.

Voltar pra lá depois de uns anos foi apenas para reafirmar esta questão… Eu amo Paris! Tenho a certeza disso diante das deliciosas sensações que sinto ao me lembrar desta cidade que me faz tão feliz.

Desta vez foram apenas três dias. Tá bom, para quem já conhece, tá bom! Afinal de contas, a proposta era esta mesmo: apenas matar um pouco a saudade. Ou seria: apenas para aumentar um pouco a saudade? (risos) É… A saudade… Inevitável!

Paris é grandiosa, de monumentos grandiosos! Tudo é demais, imponente demais! Para mim, é de tirar o fôlego! De dar frio na barriga e lacrimejar os olhos… É… É tipo paixão!

Me considero até suspeita em falar sobre Paris, por ser esta apaixonada confessa! Até meu marido se entregou aos encantos da cidade, mesmo depois de ter me dito uma vez que em sua primeira visita (sem minha pessoa) ele não teria achado muita graça. Ah, mas que falta de respeito! (risos)

Sobre as dicas, para quem quer apenas um ‘basicão’, dá pra se fazer bastante coisa em apenas três dias. E para quem gosta de andar a pé, também há esta possibilidade, apesar da cidade ser um pouco exagerada. Alguns dos principais pontos de interesse ficam relativamente próximos, como:

Torre Eiffel: Linda! Principal cartão postal, sem sombra de dúvidas. Se tiveres tempo, suba. São dois os níveis possíveis de acesso, com preços diferentes, claro. Mas se tiveres tempo, vá até o mais alto e aprecie a cidade, de cima. Não me perguntem quanto estão os valores, não tenho esta resposta, pois não tive este privilégio desta vez. E vou dizer: se não tiveres tempo se sobra, não suba! As filas para entrada costumam ser longas, e muito mais legal (na minha humilde opinião) do que vê-la de cima, é senti-la, de baixo.

Torre Eiffel - Paris

Torre Eiffel – Paris

Les Invalides: Uma construção para se admirar, onde já chegou a abrigar 6.000 soldados na época da primeira guerra mundial. Atualmente está aberto para visitação, contando com um dos mais completos museus de história militar do mundo. O local também abriga o túmulo de Napoleão, podendo ser visitado. Se tiveres tempo, vale muito a pena a visita. Se não, ao menos aprecie de fora. Sua cúpula dourada é o que mais chama a atenção.

Les Invalides - Paris

Les Invalides – Paris

Arco do Triunfo: Uma eterna homenagem aos soldados de guerra. Dá para olhar de fora, mas também pode-se avistar de cima, tendo uma boa vista da famosa avenida Champs-Elysées.

Arco do Triunfo - Paris

Arco do Triunfo – Paris

Champs-Elysées: Uma das avenidas mais glamourosas do mundo, sem sombra de dúvidas. Com restaurantes e lojas que atendem desde os gostos mais simples aos mais requintados.

Champs-Elysées - Paris

Champs-Elysées – Paris

Jardin des Tuileries: Um lindo jardim neoclássico, bastante frequentado em dias de sol, contando com deliciosas cadeiras para, quem puder, poder ler um bom livro ou apenas relaxar. Sou apaixonada por este lugar. Ao lado do Museu do Louvre.

Jardin des Tuileries - Paris

Jardin des Tuileries – Paris

Museu do Louvre: Um gigante acervo de arte. Se você é do tipo que entende sobre isso, pode se apaixonar e gastar todo um dia para visitar quase tudo. Mas, se você não é do tipo que aprecia, vai achar tudo bem cansativo e dispensar a visita de boa parte das obras. Para uma visita mais dinâmica, escolha antecipadamente os pontos de maior interesse.

Museu do Louvre - Paris

Museu do Louvre – Paris

Île de la Cité: É nesta ilha, que fica no coração da cidade, onde vivia uma tribo celta no século 3º a. C., chamada Parisii, a qual originou o nome da capital francesa.

Catedral de Notre-Dame: por fora é linda, mas por dentro, é ainda mais bela! Não sei se porquê quando entrei nela pela primeira vez, estava sendo celebrada uma missa com cantos lindíssimos, mas esta é uma das igrejas que mais me marcou, de todas que já estive. Fica na ilha citada acima e vale demais a visita!

Para quem tiver a oportunidade de um maior tempo de estadia, indico também:

Centre Pompidou: principalmente para os amantes de arquitetura.

La Basilique du Sacré Coeur de Montmartre: Montmarte é um bairro incrível, cercado por artistas exibindo seus feitos pelas ruas. É também nele que está localizada a lindíssima e famosa Basílica de Sacré Coeur.

La Basilique du Sacré Coeur de Montmartre - Paris

La Basilique du Sacré Coeur de Montmartre – Paris

Palácio de Versailles

Disneylândia de Paris
____________________________________________________________________

É, vou parando por aqui… E quem também tiver dicas sobre Paris, de lugares diferentes dos que citei aqui, por favor me envie. Certamente voltarei!

Bom dia, boa quarta-feira! Beijos, beijos.

Maria F. Mazzer

%d blogueiros gostam disto: