Arquivo | Mundo animal RSS feed for this section

Cat best friend

8 abr

Um fotógrafo russo, chamado Andy Prokh, capturou adoráveis imagens de sua filha Catherine, que teve a oportunidade de crescer em companhia de seu gato amigo.

Eu, que amo gatos e fotos, fiquei apaixonada.

Confiram abaixo:

catbestfriend designtaxi com 6

catbestfriend designtaxi com 5

catbestfriend designtaxi com 4

catbestfriend designtaxi com 3

catbestfriend designtaxi com 2

catbestfriend designtaxi com

catbestfriend designtaxi com 8

Se você também gosta, de gatos e fotografias, veja mais em: Design Taxi

Boa semana, amigos! Beijos, beijos.

Maria F. Mazzer

Anúncios

Ajudar faz bem ao coração

8 out

Meus amigos e leitores, principalmente aqueles de Mandaguaçu-Pr, hoje vos escrevo por uma nobre causa…

Semana passada tive o prazer de conhecer algumas amigas que juntas, lutam por uma única intenção: ajudar cães e gatos de rua, na cidade de Mandaguaçu-Pr.

Trata-se de um trabalho voluntário e é mantido através de doações, com auxílio 0 (zero) da prefeitura.

Os animais atropelados e doentes das ruas, são recolhidos, assistidos e depois colocados para adoção.

Acontece que a quantidade de animais chegou a um número muito alto (150, aproximadamente) e as doações atuais já não estão sendo mais suficientes. Para terem uma ideia, os bichos chegam a passar 2 dias sem ração. É muito triste.

Tudo isso sem contar o local onde eles estão, que necessita urgentemente de uma reforma. Agora pensem: se não têm se quer o que dar a eles de comer, imaginem para custear uma reforma.

Diante disso me sinto na obrigação e é um prazer poder ajudar, divulgando aqui esta situação que infelizmente tenho a certeza que se repete em várias outras cidades deste nosso país, onde prefeituras não estão nem aí para esta causa. Afinal de contas: são “apenas” bichos!

Mas beleza, vamos lá… O ponto mais alto deste post é para divulgar a…

-Primeira Feirinha de Adoção de Cães e Gatos de Mandaguaçu-Pr
-Dia 13/10/12 (sábado)
-Local: Praça Doutor Dimas
– Horário: a partir das 09:00h

E a outra questão é a de ao menos tentar alcançar alguns empresários da cidade, que se sensibilizem e possam contribuir com alguma quantia (seja ela qual for) ou se preferirem, colaborar com a doação de mantimentos.

Para isto, temos canal aberto para contato das seguintes formas:
-Facebook: procure pela página da “AMAcão”
-Celular: 9916-5888 (Angélica)
-Ou aqui mesmo pelo blog, deixando um recado no final deste post.

Dispomos ainda de uma conta poupança, para quem se interessar e puder ajudar com qualquer valor:
-Angélica Aparecida Valenza
-Banco do Brasil
-Ag: 0773
-Conta: 6582-X/ Variação: 51

Muito obrigada, amigos! Boa semana. Beijos, beijos.

Uma casa a prova de gatos!

24 ago

Meus amigos, estava com saudades… Tenho trabalhado tanto e não tem me sobrado tempo para pensar em outra coisa… Mas não estou reclamando, não. Gosto da correria, da ocupação e principalmente do retorno (risos). Aí, nestes casos, quando sobra um tempinho, queremos apenas descansar e não pensar em mais nada… Tenho certeza que com vocês também é assim.

Quem me conhece ou quem passa por aqui vez ou outra já sabe da paixão que tenho pelos animais. No meu caso, pelos gatos, em especial, pois são os únicos que tenho. Aí, depois de um dia cansativo de muito trabalho, não tem dinheiro que pague a sensação boa de chegar em casa e ver a alegria dos bichinhos.

Mas tem gente que vai muito mais além, quando o assunto é: animal de estimação. Não que eu concorde com tudo isso, mas confiram estas imagens abaixo e tirem suas próprias conclusões:





É muita disposição para agradar os bichanos, não é mesmo? Mas não dá pra negar de que seja um trabalho muito bem feito. Diversão garantida, na certa!

Tenhamos um ótimo final de semana. Beijos, beijos

Mais detalhes, aqui.

Só para lembrar…

7 mar

Ontem já não estive presente e só para não passarmos mais um dia em branco, mesmo um tanto quanto sem tempo, trago aqui algumas belas imagens para que jamais nos esqueçamos do quando é bom celebrarmos a vida!

Impossível não nos confortarmos, mesmo que pouco seja.

Agora o meu dia é mais feliz! Feliz quarta-feira, beijos, beijos.

Café com gatinhos

5 mar

Cat Cafe Nekorobi

Quem já esteve na Europa sabe o quanto as pessoas por lá investem em seus animais de estimação. Os passeios com seus cachorros não são apenas para que eles façam suas necessidades fora de casa, mas sim, um tempo reservado ao lazer, tanto para o dono, quanto para o animal. É muito comum observarmos aquelas praças enormes cheias de cachorros com seus respectivos proprietários, correndo e brincando.

Me lembro que quando estive lá com meu irmão, isso em 2007, na época ele brincou dizendo “Poxa, que vontade de ter um cachorro para brincar. Será que não existe um lugar onde possamos alugar um?” (risos). É claro que o comentário foi apenas uma brincadeira, mas pouco tempo depois do nosso retorno ao Brasil, me lembro de ter visto uma matéria sobre a grande novidade do momento: “aluguel de cachorros”. Sim, em alguns países afora isto já é possível faz tempo!

No mundo felino esta ideia não seria tão simples de executar. Afinal de contas, os gatos são territorialistas, portanto não gostam muito da mudança de ambiente. Sem contar que não é comum vermos pessoas passeando pelas ruas com seus próprios gatos, que dirá com um “gato alugado”.

Mas, se você ama gatos, mora no Japão e não pode tê-los em casa por motivos maiores, ou ainda, se você ama gatos e esteja no Japão à passeio e queira desfrutar de algumas horas em companhia dos bichanos, seus “problemas” acabaram! Virou moda por lá, algumas cafeterias especializadas em proporcionar companhias felinas à seus clientes, como é o caso do Cat Cafe Nekorobi.

O valor pago pela companhia dos bichos pode variar de R$ 22,50 a R$ 27,00 a hora, dependendo o dia da semana.

Tenho certeza de que muitas pessoas achariam isso um absurdo, pelo fato de misturar animal com comida, mas tem quem não se importe tanto com isto, se não a ideia não estaria fazendo tanto sucesso pela Ásia.

E então? Será que esta moda pega em algum outro lugar do mundo?!?

Uma ótima segunda-feira e uma excelente semana! Beijos, beijos. Miau, miau.

As companhias felinas do Cat Cafe Nekorobi

Via: revistacasaejardim

Amizades inusitadas

14 fev

Contrariando aquele velho ditado: “Brigam mais do que gato e cachorro”, a jornalista Jennifer Holland, da National Geographic, prova em seu livro Unlikely Friendship, lançado pela editora Workman Publishing, que amizades entre diferentes espécies podem ocorrer, sim!

E não apenas entre cachorros e gatos, mas também entre ovelhas e elefantes, ursos e gatos, gatos e aves, sendo que em alguns casos, desafiam a própria cadeia alimentar.

O livro encontra-se à venda no site da Amazon por US$ 10,98 e serve como uma boa lição para nós, meros seres humanos, considerados os seres mais inteligentes do planeta embora vivamos em constante guerra.

Uma ótima terça-feira. Beijos, beijos.

Fonte: Blog Bicharada e Revista Casa e Jardim.

Os gatos em minha vida

2 fev

Imagem via: amodadamira.com

Desde que me conheço por gente, eu amo bichos! Tanto é que quando pequena, eu dizia que queria cursar medicina veterinária. Mas que nada… Hoje sei que não conseguiria tratar de nenhum. Mal dou conta de dar um remedinho para as minhas aqui de casa quando precisam.

Além de eu gostar tanto assim, eu sempre tive bastante acesso à muitos deles. Cachorros, cavalos, bois, vacas, porcos, carneiros, cabritos, galos, galisés, galinhas, da angola, patos, gansos e marrecos. E hoje em dia tem gente que nem sabe a diferença destes últimos três aí! (risos). É verdade! Eu sei que é verdade!

Mas os gatos nunca foram o meu forte… e também sei que não são o forte de muita gente.

Então eu me casei com um homem que nunca teve muita coisa, além de gatos! (Risos).

Viemos morar em um apartamento e em algum momento da nossa relação, sentimos que era hora de termos um bichinho de estimação! (Opa, até rimou!). Mas o que?!? Pássaro engaiolado? Jamais! Cachorro? Já tive cachorro em apartamento e sei que dá muito trabalho, portanto, apesar de amá-los, também não daria, obrigada! Tartaruga? Peixe? Não… Pra mim não dá! Gosto de bicho pra eu poder abraçar e beijar. Sou Felícia, assumida!

Mas o que restou então? Eles… Os gatos. Aqueles bichos estranhos, mal educados, que quando chamamos, eles nunca vêm. Pior que isso, traiçoeiros, aos olhos de muita gente. Mesmo assim, resolví pagar pra ver… E me apaixonei!

Eles são independentes, dispensam idas semanais ao pet shop, fazem as necessidades em um único lugar, não precisam ser levados para passear e além de tudo isso, são muito amorosos.

Na época, a primeira raça que me veio em mente para comprarmos foi a persa. Mas resolvemos mudar o rumo e ao invés de comprarmos, preferimos fazer uma boa ação e adotar. Fui até a SPAM (Sociedade Protetora dos Animais de Maringá), que cuida de animais abandonados e no caminho fui imaginando como seria a carinha do nosso novo bichinho.

A única certeza que tinha era de que seria um vira-lata, claro, pois ninguém deixa um persa para adoção, por exemplo. Então, já que seria assim, fui imaginando o gato mais vira-lata de todos, daquele tipo meio cinza, rajado, bem de rua mesmo.

Quando cheguei no abrigo, tinham dois com estas características. Acabei escolhendo ela, que o funcionário do lugar disse ser ‘ele’. O nominamos como Miguel, mas hoje ela leva o nome de Chanel. Eu disse para o funcionário: “Quero ‘aquele’ alí, pode pegar, por favor”. Mas assim que ele ‘o’ colocou no meu colo eu pude perceber que ‘ele’ não tinha mais da metade do rabo. Logo pensei: “Puts, que ‘feinho’, ‘ele’ não tem o rabo inteiro e o pequeno pedaço que resta, é todo torto, e agora? Será que fico com este mesmo? Tem tantos outros mais bonitinhos e eu vou ficar com este???” Mas, já que era para fazer uma boa ação, que fosse por completo. Adotei o sem rabo mesmo, por imaginar que talvez fosse o menos querido para adoção. Ah! E tudo isso aconteceu com a companhia e o incentivo da minha mãe (risos).

‘O’ colocamos em uma caixa de papelão, todo ‘pequenino’, ‘franzino’, porém bastante ‘teimoso’, pois não queria ficar ‘preso’ na caixa de jeito nenhum, fazia de tudo para escapar. Para não me atrapalhar à dirigir, tive que ‘colocá-lo’ no porta-malas do carro, ‘tadinho’.

Quando chegamos em casa e meu marido ‘o’ viu, óbvio que logo reparou no rabo pequeno e torto e disse: “Nossa, quanta coincidência! Um dos gatos que já tive, talvez o que tenha ficado comigo por mais tempo, também tinha o rabo assim”. Ufa! Eles se deram bem logo de cara.

Eu é que tive que, aos poucos, aprender à lidar com aquela criaturinha. Afinal de contas… Os gatos nunca foram meu forte, lembram?!? Pois bem… Confesso que na primeira semana chegou a bater um arrependimento pois ‘ele’ não parava de miar e eu já não sabia mais o que fazer. Também, ‘tadinho’, era ainda um bebê de apenas 3 meses, aproximadamente. Com o passar do tempo fomos nos acertando.

Depois de alguns dias uma amiga esteve em casa e disse com toda a certeza de que o bichinho não era um gato! Mas sim, uma gata! (risos) Aquilo pra mim foi trágico. Imaginem! Já estava acostumada com ‘ele’, e logo logo tive que me acostumar com ela… A nossa Chanel.

Ela é uma fofa! Extremamente carinhosa. Me recepciona todos os dias quando chego em casa depois do trabalho. É a minha companheirinha! Gosta de ficar deitada comigo na rede e adora um colinho.

Passado um pouquinho mais de um ano, decidimos adotar mais uma, para fazer companhia uma à outra, já que gostamos muito de viajar e vira e mexe estamos fora de casa. Desta vez foi uma pretinha, toda pretinha, brilhosa, rabuda, uma graça! Mas a adaptação entre as duas não vingou. Neste momento me dei conta de que esta parte é complicada, quando nos referimso aos gatos. Infelizmente tivemos que doá-la para outra pessoa.

Mais tarde, ainda com esperança em conseguir uma irmãzinha pra Chanel, conhecemos a ‘frajolinha’ que nomeamos de Zara. À pedido de uma amiga, que não tinha mais para quem dar o único filhote restante, optamos por tentar mais uma vez, com a condição de que ela a pegasse de volta, caso o convívio não tivesse um final feliz.

Depois de muitas, mas muitas leituras de artigos em blogs pela net, sobre como fazer para adaptar duas gatas num mesmo convívio e pela minha alegria extrema, elas se deram muito bem! Também, pudera! A Zara é uma ‘tadinha’, (risos), muito boazinha, também muito carinhosa, mas diferente da Chanel, odeia colo.

Pelas minhas leituras que me referí acima, me lembro exatamente do que dizia em um dos blogs que infelizmente não me lembro mais o nome, mas era mais ou menos assim: “Todo o esforço dedicado na adaptação de dois gatos será recompensado por uma vida inteira de parceria e felicidade entre eles”. E foi exatamente assim. Hoje elas se amam, brincam e já não me entristece mais o fato de ter que sair de viagem e deixá-las sozinhas. Mas claro que tenho uma pessoa querida que cuida da alimentação e higiene delas por mim, na minha ausência.

Apresento-lhes, a Zara:

Só sei que minha paixão por elas é tão grande que até contagiei a família, convencendo meus pais a deixarem minha irmã ter a dela.
Quando fomos à casa de um amigo, que tinha encontrado uma filhote de gato abandonada e dizia não saber o que fazer com ela, pois na época ele já tinha dois cachorros grandes, na mesma hora encontramos a solução! A peguei e levei para casa de meus pais e hoje é a alegria de lá. Então, também apresento-lhes a priminha braquela e linda… Tulie:

20120127-184711.jpg

Este post ficou muito longo, espero que não tenham se irritado. Geralmente não costumo escrever tanto assim. Mas não teria como ser menos que isto, afinal, a história é realmente longa.

Mas meu objetivo com ele é tentar contribuir para que as pessoas tirem este mal preconceito sobre os felinos, pois hoje tenho a certa convicção de que só não os ama quem não os conhece.

Fora isto, quero também ajudar a incentivar a adoção. Não descartem esta possibilidade, pois ela é muito prazerosa. E nunca, em hipótese alguma, façam uso do abandono. Os animais devem ser amados, assim como eu e você! Me dói o coração vê-los atropelados, mortos pelas ruas e estradas, pois se quer sabem como atravessar um cruzamento.

Fazer o bem, sem se importar à quem!

Feliz quinta-feira! Beijos, beijos.

A beleza dos cães adotados

1 set

Recebí esta matéria de uma amiga, por e-mail e considero muito importante, portanto repasso…

Talvez muitos de vocês já tenham visto, mas nunca é demais relembrar…

As fotos abaixo mostram o antes e o depois dos cães adotados.

O que mais impressiona não é a beleza que eles ficaram, mas sim a mudança do olhar de cada um deles!

Percebam que o amor dedicado à um animal abandonado é retribuído com seu olhar de felicidade e gratidão eterna.

Embora no Brasil não haja uma estatística oficial, o número de animais abandonados deve ultrapassar 300 mil.

Eles são simplesmente “jogados fora” e deixados à própria sorte.

Mais triste ainda é saber que 85% (oitenta e cinco por cento) morrem nos primeiros 20 dias, a maioria por acidentes de trânsito…

É incrível a diferença!

Não existe animal feio, existe animal mal tratado.

Apoie a campanha de adoção!

Não compre, adote!

Adote um cão amigo

15 jun

Mais uma vez, venho pedir a colaboração de vocês para encontrarmos um lar para mais um animal, desta vez um cachorro, muito dócil e educado, de aproximadamente 10 anos de vida.

Ele foi resgatado de um atropelamento por uma amiga, no dia 03/06/2011. Teve uma grave fratura em uma das patas, ficou internado até o dia 13/06/2011, mas já se recupera bem.

O cão foi encontrado na Rua Catulo Cearense, zona 05 em Maringá – Paraná. Não sabemos ao certo se este é um cachorro de rua abandonado ou se pode haver uma família triste com seu desaparecimento. De qualquer maneira, ele precisa de carinho e de um lugar para viver.

Ajude-nos divulgando este caso. Obrigada!

Adote um gatinho!

10 jun

Gente, uma amiga achou 4 filhotes de gato, recém nascidos, abandonados debaixo de chuva, dentro de uma caixa de papelão, num terreno vazio.

Os filhotes estavam à beira da morte, desnutridos. Ela chegou até a pensar que não sobreviveriam. Mas com seu amor e cuidados, hoje estão lindos e fortinhos, precisando de um lar e de alguém que lhes dê carinho.

Eles já estão vacinados e desverminados. São 3 fêmeas e 1 machinho. O macho é o mais peludinho (última foto), vejam as fotos, são muito lindos!

Como já tenho duas, infelizmente não posso ficar com nenhum. Esta amiga também não pode, pois está cuidando de outro animal, desta vez um cachorro, que achou atropelado.

Ajudem-nos a encontrarmos um lar para estes pequenos que hoje estão com aproximadamente 50, 60 dias de vida.

Adotar é tudo de bom! Falo por experiência própria!

Beijos!

Obs: os animais encontram-se em Maringá – Paraná.
——— Todos já foram adotados, muito obrigada! ——-

%d blogueiros gostam disto: